Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Lucros sem escrúpulos

Lucros sem escrúpulos

26/11/2020 Francisco Arid

Em discurso recente, o presidente Bolsonaro ameaçou divulgar quais países compram do Brasil madeira extraída ilegalmente.

A participação de empresas estrangeiras nesse tipo de negócio infelizmente já é notória, mas vale lembrar que tais ações são facilitadas por órgãos públicos federais – ao apontar o dedo para os países compradores, Bolsonaro acaba incriminando também o seu próprio governo.

Em um contexto de graves danos ambientais e violações de direitos humanos, é necessário que se criem leis de responsabilidade sobre as cadeias globais de produção.

Parte dos lucros de empresas multinacionais advém de uma estratégia de externalização de custos: enquanto algumas pessoas em algumas regiões do mundo colhem os frutos da economia global, outras pessoas de outras regiões arcam com os danos sociais e ambientais daí decorrentes.

Muitos dos produtos que consumimos têm origem em trabalho infantil, desmatamento, semiescravidão... Por isso, as empresas deveriam fiscalizar a totalidade de suas cadeias de produção e responsabilizar-se judicialmente por elas, inclusive em etapas realizadas em outros países e/ou por empresas parceiras.

A importância de leis do tipo, que já existem em outros países (na França, a “Loi sur le devoir de vigilance” foi aprovada em 2017), se mostra no caso da madeira ilegal, por exemplo: o Ibama só flexibilizou as regras de certificação porque há compradores internacionais que exigem uma comprovação de que a madeira negociada tem origem legal.

É exatamente por isso que uma lei assim é necessária também no Brasil, para coibir empresas brasileiras e órgãos públicos como o Ibama de participarem desse modelo de exploração econômica predatório e destruidor.

Além disso, não é só no Brasil que ocorrem danos sociais e ambientais; empresas brasileiras também externalizam custos para outros países.

Sendo assim, resolver esse problema global depende de um esforço internacional para a aprovação de mecanismos de controle e responsabilização mais eficientes.

Talvez, dessa forma, consigamos estabelecer um modelo econômico mais justo, sustentável e seguro no mundo todo.

* Francisco Arid é estudante de Ciência Política na Universidade de Marburg, na Alemanha, e articulista da Saíra Editorial.

Fonte: LC Agência de Comunicação




Para um Rei!

Na inicial do nome, um passe do destino: Rei! Nasceu no dia 11 de janeiro, com as traves do tempo lhe acenando um gol.


Como impulsionar as vendas usando a prospecção ativa?

A área de vendas é o coração de qualquer empresa. Sem ela, o negócio simplesmente não existe.


Os 3 princípios fundamentais para exercer a liderança na prática

Afinal, o que realmente significa a liderança?


CORONAVAC – Para quem nada tem, metade é o dobro!

Diante da manifesta politização da Covid-19, que deveria ser alvo de debates científicos e esclarecedores para a população brasileira, sobre as perdas lastimáveis de vidas humanas, surge uma esperança no fim do túnel, a tão sonhada Vacina.


Na ânsia de arrecadar, João Dória esquece que a prioridade é sobreviver

2020 não terminou bem para o governador paulista João Dória, flagrado no aeroporto de Miami (mas os EUA estão permitindo a entrada de brasileiros?) logo após o Natal e o anúncio feito por ele mesmo sobre restrições de movimentação e abertura de comércio.


O legado Ford

Vivemos uma economia globalizada em sociedades locais.


Para o padre, nem um tostão

Escutei esta frase, de católica “fervorosa”, referindo-se ao sacerdote da sua paróquia.


Como a responsabilidade legal impacta o Direito Ambiental

Em um panorama atual, é notório que na última década, o Brasil tem sido cenário de graves problemas ligados às questões ambientais.


Integração entre sistemas ponto-a-ponto é uma bomba-relógio na infraestrutura de TI

Decidir por uma plataforma de integração é uma decisão essencial e estratégica para qualquer empresa.


Entenda o que é ESG, a sigla que promete aproximar empresa e acionistas

Falar de meio ambiente, sustentabilidade e responsabilidade social tem sido comum nos últimos anos.


Novos mandatos, novas cidades?

O que se pode esperar da transformação digital nas prefeituras.


ÁTRIOS – Estou à porta e bato!

Existem coisas que são essenciais em nossas vidas, e entre elas podemos destacar aquela que precisa ser prioridade, porque é a base e o sustento de tudo, e dela dependem todas as demais.