Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vacinas contra Covid-19: A aquisição por entidades privadas

Vacinas contra Covid-19: A aquisição por entidades privadas

29/04/2021 Marcelo Dias Carvalho

O Congresso Nacional tem empenhado esforços no sentido de aprovar o Projeto de Lei (948/21), que visa estabelecer regras de aquisição e doação de vacinas por parte do setor privado.

O PL pretende alterar a redação do art. 2º, da Lei nº 14.125/21, de forma a permitir que 50% das vacinas adquiridas pelo setor privado possam ser destinadas à imunização contra a COVID-19 por entidades da sociedade civil, ao passo que a norma atualmente em vigor autoriza a aquisição de imunizantes com a doação integral ao Sistema Único de Saúde, a fim de serem utilizados no âmbito do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O assunto já foi discutido e aprovado na Câmara dos Deputados, e encontra-se em tramitação no Senado Federal, sob regime de urgência.

A iniciativa parlamentar teve início, inclusive, em razão da judicialização do assunto, quando o Sindicato dos Motoristas Autônomos de Transportes Privado Individual por Aplicativos no Distrito Federal (SINDMAAP-DF) obteve medida liminar junto à 21ª Vara Federal do Distrito Federal para autorizar a importação de vacinas, aliado ao fato de que se considera excessiva a demora no processo de imunização da população brasileira.

A despeito das decisões liminares concedidas em favor de entidades privadas terem sido cassadas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, a discussão sobre o tema avança perante o Poder Legislativo e conta com apoio de diversos empresários do Brasil.

De fato, movimentos idealizados por grandes empresários e empresárias apoiam a iniciativa parlamentar, no intuito comum de acelerar a vacinação da população contra a doença causada pelo novo coronavírus, independentemente de qualquer isenção fiscal ou benefício, com um propósito legítimo da atuar em paralelo com os governantes no sentido de que a imunização alcance o maior número de pessoas em menor tempo, permitindo, consequentemente, a retomada das atividades produtivas, a manutenção de empregos e a melhora nos índices da economia.

Se por um lado muitos entendam que a proposição legislativa contribua para um avanço mais significativo no ritmo de imunização dos brasileiros, aliviando o colapso no setor da saúde, pelas redes públicas e privadas e em todos os Estados há uma outra parcela que considera a adoção dessas medidas uma carta branca para a quebra das prioridades estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização, resultando na instituição dos “fura-filas”.

Nesse contexto, a alteração proposta à Lei nº 14.125/21, da forma como vem sendo amadurecida e discutida, pode efetivamente contribuir para os fins a que se destinam havendo mecanismos e critérios disponíveis para que sejam controladas as aquisições, as doações, as imunizações e a comercialização das vacinas adquiridas pelas entidades privadas, sem que isso entre em rota de colisão com iniciativas públicas e com o Plano Nacional de Imunização.

É preciso apenas organizar e fiscalizar de forma legítima esse processo e os avanços no processo de imunização da população brasileira, de forma que possam acontecer de forma mais rápida.

* Marcelo Dias Carvalho é sócio gestor de Consultoria Tributária do Marcelo Tostes Advogados e advogado.

Para mais informações sobre vacinas clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Sing Comunicação



Nexialista: o profissional plural do futuro ou de hoje?

Que o mercado de trabalho tem se transformado de forma cada vez mais acelerada, e o nível de exigência por profissionais talentosos é crescente dentro das empresas, todo mundo já sabe; não é verdade?


Onde a geração Z investe

O último Anuário de Retorno de Investimentos Globais do Credit Suisse, entre outras coisas, apresenta um raio-x de alternativas de financiamento para a Geração Z, aqueles que nasceram entre 1995 e 2000.


A CPI pariu um rato

Fosse hoje vivo, é o que Horácio, o pensador satírico romano diria sobre a CPI da Covid.


Como identificar um ingresso falso?

Com recorrência vemos reportagens abordando diferentes fraudes e golpes que aparecem no mercado.


A primeira visita de D. Pedro a Vítor Hugo

O livro: "Vitor Hugo chez lui", inclui a curiosa visita, realizada pelo Imperador, a 22 de Maio de 1877, ao célebre poeta.


São Frei Galvão, ‘Homem de paz e caridade’

A Igreja celebra, em 25 de outubro, a Festa de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, que na devoção popular é conhecido como “São Frei Galvão”.


CPI da Covid desviou-se e não sabe como terminar

Chegamos ao cume da montanha de inconveniências que povoam o cenário contemporâneo da política brasileira.


Sentimentos e emoções provocadas pela série “ROUND 6”

Nas últimas semanas estamos vivenciando uma série de críticas, comentários, “spoilers” e reflexões sobre a série sul-coreana de maior sucesso da plataforma Netflix: “Squid Game” ou “Round 6”.


Perdas e ganhos dos médicos “filhos” da pandemia

A maioria das situações com as quais nos deparamos na vida tem dois lados. Ou, até, mais de dois.


Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).


Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.


Salvar a dignidade também é salvar a vida

Quando recebemos o diagnóstico de uma doença grave, crônica ou que ameace a vida, muita coisa muda.