Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A importância da informação em época de crise

A importância da informação em época de crise

31/10/2017 Carlos Eduardo Lima

Saber como, quando e onde usar as informações também faz enorme diferença nos resultados.

A importância da informação em época de crise

Nosso país vive um momento muito conturbado de sua história, afundado em crises políticas rotineiras, com impactos diretos sobre nós e nossas famílias, já que a economia e a política andam de mãos dadas.

Em momentos assim, sentimo-nos, muitas vezes, desanimados e esquecemos que precisamos “tocar a vida” e planejá-la. A dificuldade em manter a economia satisfatória tem sido bastante visível nos últimos tempos. Separar política e economia não é tarefa fácil e quem consegue tem muito mais chances de alcançar o sucesso.

Continuar caminhando é preciso, mas as empresas que não se calçarem com informações pertinentes, dificilmente atravessarão a crise de maneira sóbria e com bons resultados. A informação sempre foi uma importante aliada na dissociação economia/política, reportagens, matérias especiais, publicações específicas para a área da economia sempre ajudam a entender melhor o que está acontecendo e nos auxiliam a traçar um plano de ação para o futuro.

Para empresários, diretores, gestores e demais tomadores de decisão nas empresas, apenas informações superficiais não são suficientes, surgem então as informações “profissionais”, através de programas e sistemas especializados que ofertam projeções para pequeno, médio e longo prazo.

Esse tipo de informação permite que as empresas consigam planejar suas ações para atravessar ou mesmo nem entrar em crise. Saber o andamento dos números sobre juros, moedas internacionais e índice Bovespa são essenciais para os gestores que querem apresentar propostas para que suas empresas sobrevivam com sucesso à crise nacional que se instalou em nossa economia.

Atualmente esse tipo de informação já pode ser facilmente obtida através de programas e serviços disponibilizados por empresas especialistas em estudos econômicos e mercado financeiro. Esses serviços de informações inteligentes servem como guias para ações instantâneas ou para o planejamento de ações futuras. Saber com o que está lidando e, principalmente, saber o que pode vir pela frente é um diferencial que transforma muitas empresas em líderes de mercado.

No entanto é importante lembrar que, não adianta apenas ter acesso a informação é preciso entende-la para poder utiliza-la. Saber como, quando e onde usar as informações também faz enorme diferença nos resultados, isso porque, caso seja feito um mau planejamento a partir das projeções, os resultados não serão os esperados, podendo ainda, colocar a empresa em uma crise maior.

Contudo, a troca, a checagem e a utilização de informações pode ser um dos principais triunfos para quem quer atravessar e deixar a crise para trás. Conseguir lidar com essas informações, certamente, fará com que empresas se destaquem no mercado econômico nacional e a recuperação da economia no Brasil poderá, quem sabe, voltar a crescer independente do setor político.

* Carlos Eduardo Lima é formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo com MBA em finanças pela FGV.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.