Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Anseios da Educação e o novo governo

Anseios da Educação e o novo governo

25/08/2016 Cesar Silva

Iniciado o governo interino, o segmento de Educação permanece com suas angústias.

O MEC traz nomes de muita credibilidade, como as professoras Maria Helena Guimarães de Castro, Secretaria Executiva do MEC, e Maria Inês Fini, Presidente do INEP, que possuem longa história na implantação de projetos educacionais, como o próprio ENEM.

Há, porém, grande contradição quanto aos novos projetos. Embora em dívida com diversas instituições privadas que ofertaram cursos por meio do Pronatec, o MEC divulgou a liberação de R$ 78 milhões para novas vagas pelo programa.

Entre os contemplados com os recursos, há 470 instituições privadas. Mas como convencê-las a aderir a mais uma rodada de bolsas se elas e seus pares ainda não foram pagos pelos serviços prestados ao governo? Além de credibilidade, a nova equipe deve buscar as metas do Plano Nacional de Educação (PNE) que, dois anos após sua sanção, ainda sofre com a falta de propostas que garantam seu cumprimento, embora possua importante papel como impulsionador do desenvolvimento econômico.

O Censo da Educação de 2015 mostra que o ensino médio no país cresceu rapidamente até 2004, quando então quase estacionou. Em 1992, somente 18,3% dos jovens de 15 a 17 anos estavam no ensino médio; em 12 anos, esse percentual passou para 45,7%, e chegou a 56,5% em 2014, quando 65% dos jovens com 25 anos haviam concluído o ensino médio.

Naquele ano, das 10,6 milhões de matrículas no ensino médio, 7,6 milhões eram de cursos regulares (propedêuticos), 1,3 milhões em cursos de educação de jovens e adultos (EJA) e 1,7 milhões em cursos técnicos. Destes, 790 mil já haviam completado o ensino médio regular, e outros 511 mil que faziam os dois cursos simultaneamente.

A educação brasileira se expande, mas de forma perversa. Apesar de a grande maioria nunca chegar ao ensino superior, a qualificação profissional só pode ser feita como formação adicional por aqueles que concluíram o ensino médio tradicional.

A falta de alternativas exclui os que não têm condições, como se vê pelo grande número dos que não completam a educação média ou não atingem as notas mínimas no ENEM para ingresso na educação. Se causa entusiasmo saber que mais de 9 milhões de brasileiros se inscrevem no ENEM, dá arrepios verificar que apenas metade obtém nota superior a 450 pontos e que sequer 2 milhões de estudantes se matriculam no ensino superior.

Ainda que sem indicadores sobre os rumos pretendidos pela nova equipe do MEC, a ampliação do acesso à educação profissional tem de ser prioridade. Seria a forma de ampliar a empregabilidade dos jovens e abrir oportunidades de negócios.

* Cesar Silva é presidente da Fundação FAT, entidade sem fins lucrativos que desenvolve cursos e treinamentos nas áreas de educação e tecnologia.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa