Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Apure-se tudo, até quem encomendou e custeou a facada

Apure-se tudo, até quem encomendou e custeou a facada

31/08/2023 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

O ex-presidente Jair Bolsonaro deixou o hospital, em São Paulo, na tarde de quinta-feira (24/08) após realizar exames preparatórios à quinta cirurgia a que se submeterá em razão da facada sofrida, em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral de 2018.

As sequelas estão presentes exigem cuidados. Bolsonaro é, com certeza, um dos mais contestados ex-governantes brasileiros.

Seus adversários já conseguiram obter a decretação de sua inelegibilidade, tentam culpá-lo como autor da suposta tentativa de golpe de Estado, da venda irregular de jóias que recebeu como presentes na condição de chefe de Estado e o engendram numa série de feitos policiais que repercutem espetaculosamente, cujo objetivo maior é abalar seu prestígio político, incriminá-lo e, se possível, até prendê-lo.

Não somos contrários à investigação severa de todos os malfeitos supostamente cometidos por governantes, parlamentares e outras figuras públicas.

É preciso, no entanto, trabalhar sobre bases sólidas para evitar que a investigação seja apenas uma forma de perseguição e termine por parir um rato como na antiga estória da montanha.

Que Bolsonaro e todos os políticos desse País – independente de ideologia - sejam chamados a pagar por todas as irregularidades que tenham comprovadamente cometido.

Mas não por coisas não apuradas e destinadas a satisfazer seus adversários. Tudo tem de ser conduzido com isenção e honestidade.

A propósito, todos os que hoje se empenham para penalizar o ex-presidente e seus aliados, fariam melhor se dirigissem pelo menos uma parte dos seus esforços no sentido de conhecer pormenores da movimentação de Adélio Bispo até o fatídico dia em que enfiou a faca na barriga do então candidato presidencial, sem se esquecerem também, de identificar quem arquitetou e custeou o crime e, inclusive, qual o interesse de quem contratou e enviou advogados caros para defender o psicopata quase assassino.

Adélio, com certeza, é só um imbecil que aceitou realizar a empreitada de sangue. É preciso encontrar, identificar, processar e prender quem gestou, contratou o executor, criou álibis e, principalmente, custeou o crime. Adélio, apesar de tudo, deve ser o menos culpado, mas é o único, até hoje, encarcerado.

Em tempo: os que libertaram o presidente Lula e o habilitaram a voltar ao poder, não podem se esquecer de tomar providências plausíveis, sociais e juridicamente aceitas para a conclusão dos processos e sentenças ainda hoje pendentes contra o governante.

A população tem o direito de saber detalhadamente o que ocorreu e justificou as providências. Numa democracia, o povo é soberano e todos são iguais perante a lei (Constituição Federal – Artigo 5º).

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).

Para mais informações sobre investigação clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa