Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Benefícios psicológicos vividos por idosos inseridos em programas de estágio

Benefícios psicológicos vividos por idosos inseridos em programas de estágio

09/03/2022 Dra. Andréa Ladislau

Quem não se lembra do filme “Um Senhor Estagiário”?

Uma história protagonizada por Robert de Niro e Anne Hathway, na qual um senhor, no auge de seus 70 anos, decide se reinventar e estagiar em uma empresa toda moderna e especializada na venda de roupas online.

Esse filme nos leva a refletir sobre a ocupação dos idosos no mercado de trabalho e de que forma essa ocupação pode contribuir com significativos benefícios psicológicos para as pessoas da terceira idade, já que a vida requer movimento em todas as suas fases.

Superar o ambiente adverso, seus medos, suas limitações físicas ou até mentais, além de conquistar colegas de trabalho (de diversas faixas etárias) e se manter firme na busca do objetivo por estar ativo no mundo corporativo, sem dúvida, são os maiores desafios de um idoso que encara esse processo de superação.

Além disso, a empatia, generosidade e compreensão precisam caminhar juntos na estratégia de acolhimento deste indivíduo.

No âmbito psicológico, voltar ou se manter produtivo é fundamental para o idoso. Pois, o equilíbrio emocional tende a afastar os sentimentos de perda, inutilidade e finitude, tipicamente vivenciados por quem se encontra em faixas etárias mais avançadas.

Apesar de sabermos que a etapa da vida caracterizada como velhice é carregada de bonitas histórias e velhas lembranças, mas também vem carregada de sofrimento e tristeza.

Fatores muitos distintos que podem apontar causas que levam a esse desequilíbrio emocional, visto que não se pode afirmar que existe uma causa única para o sentimento de perda demonstrado pelo idoso, mas um complexo de valores associados que devem ser ponderados e reparados por todos e pela sociedade.

Um profissional sênior no time corporativo tem sido desejado por muitas empresas, que passaram a aderir programas de estágio para pessoas acima dos 40 anos.

Um bom exemplo foi que em 2020 a Unilever abriu processo seletivo para contratação de estagiários com idade acima de 55 anos, mostrando que não há limite de idade para estagiar e que é louvável a tentativa de colocá-los de volta à ativa e oportunizar maneiras para se reinventar em meio a uma sociedade onde tudo é urgente e imediato.

O pulo do gato é banir a concepção estigmatizada de que entrar em uma faixa etária elevada é sinal de que a vida acabou e deve-se esperar pelo fim da vida.

Pelo contrário, os mais velhos podem ser mais resilientes e dominarem com muita habilidade situações de crise e conflito.

Visto que, muitos trazem na bagagem experiências enriquecedoras para compartilhar, ensinar e orientar, com potenciais diferenciados e fundamentais no atual mercado de trabalho.

Portanto, mesmo com o inevitável choque de gerações, a inserção de idosos no ambiente laboral fomenta a revisão de valores pessoais, auxilia na elevação da auto estima e do senso de utilidade deste ser humano.

Além de provocar uma revolução nas emoções, sentimentos e visão de mundo em todos os envolvidos neste processo.

Afinal, não importa a idade, gênero ou qualquer outra segmentação, a dedicação e qualidade podem vir de qualquer profissional.

Uma mina de ouro para o idoso e para a empresa que vencem as diversidades e potencializam oportunidades para novos talentos brilharem.

Além de valorizar o humano e favorecer o equilíbrio emocional e psíquico de quem acreditou estar no fim da vida, sem muitas perspectivas.

* Dra. Andréa Ladislau é psicanalista.

Para mais informações sobre terceira idade clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Lilian Lopes



A governança de riscos e gestão em fintechs

Em complemento às soluções e instituições financeiras já existentes, o mercado de crédito ficou muito mais democrático com a expansão das fintechs.


6 passos para evitar e mitigar os danos de ataques cibernéticos à sua empresa

Ao longo de 2021 o Brasil sofreu mais de 88,5 bilhões (sim, bilhões) de tentativas de ataques digitais, o que corresponde a um aumento de 950% em relação a 2020, segundo um levantamento da Fortinet.


Investimentos registram captação de R$ 46 bi no primeiro trimestre

O segmento de fundos de investimentos fechou o primeiro trimestre de 2022 com absorção líquida de R$ 46,1 bilhões, movimentação de 56,9% menor do que o observado no mesmo período de 2021.


Não são apenas números

Vinte e duas redações receberam nota mil, 95.788, nota zero, e a média geral de 634,16.


Formas mais livres de amar

A busca de afeição, o preenchimento da carência que nos corrói as emoções, nos lança a uma procura incessante de aproximação com outra pessoa: ânsia esperançosa de completude; algum\a outro\a me vai fazer feliz.


Dia da Educação: transformação das pessoas, do mercado e da sociedade

A Educação do século 21 precisa, cada vez mais, conciliar as competências técnicas e comportamentais.


Uma carta à Elon Musk

O homem mais rico do mundo, Elon Musk, acaba de chegar a um acordo para adquirir uma das redes sociais mais importantes do mundo, o Twitter, por US$ 44 bilhões.


Liberdade de expressão: lembrança do passado recente

Na manhã do dia 19 de agosto de 1968, tropas da polícia e do Exército invadiram a Universidade de Brasília, agredindo violentamente vários estudantes dentro das salas de aula.


Mitos sobre a recuperação judicial

Criou-se uma verdadeira quimera quando o tema é recuperação judicial e o objetivo deste artigo é desmistificar alguns dos mitos sobre esse instituto.


Quem vive em união estável tem direito à pensão por morte?

A pensão por morte é um benefício do INSS destinado aos dependentes de um segurado quando o instituidor faleceu.


O que a inveja desperta em você?

Inveja é um sentimento de natureza humana que se caracteriza por ódio ou rancor em relação a algo de bom que o outro tem, e você não.


“Os bem-comportados podem sair”

Havia na empresa onde trabalhei quase quarenta anos, o costume, enraizado na tradição, de não abandonar o local de trabalho, sem o chefe do departamento, dizer: “Podem sair!”