Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Bruxismo: O stress descontado nos dentes

Bruxismo: O stress descontado nos dentes

10/07/2014 Paulo Coelho Andrade

Tensões emocionais, trânsito, excesso de responsabilidades e agitações decorrentes de pressões diárias resultam em stress.

A doença está diretamente ligada ao hábito de ranger ou apertar os dentes involuntariamente, configurando uma disfunção oral chamada bruxismo. Podendo ser diurno ou noturno (mais comum), o problema causa dores na cabeça, na mandíbula, desgaste dental e pode atingir pessoas de todas as idades, em ambos os sexos.

De acordo com Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e sócio proprietário de clínica homônima, até mesmo crianças com excesso de atividades ou que passam por problemas psicológicos (traumas, brigas de família ou cobranças demasiadas) têm muita probabilidade de desenvolver o bruxismo. “A disfunção acaba funcionando como um termômetro psicológico bucal, pois a maioria das pessoas que possuem os sintomas tem aumento, direto ou indireto, da tensão emocional”, conta o dentista.

O bruxismo sobrecarrega de forma excessiva todos os tecidos do suporte, podendo causar deterioração dental como fraturas de dentes e restaurações, diminuindo a real dimensão da arcada dentária. Os sinais mais aparentes da disfunção são fadiga muscular, dores encefálicas e mandibulares, desgaste dentário e retração gengival acompanhada de lesão óssea, que pode levar até à perda dos dentes. Paulo explica que, quando a mandíbula e a maxila estão pressionadas, ocorre uma isquemia crescente com queda da oxigenação e acúmulo de produtos metabólicos, o que ocasiona o estímulo das terminações nervosas, que geram a dor.

“Classificado de acordo com o tipo de prevalência da contração muscular, cêntrico (apertamento) e excêntrico (ranger), o bruxismo pode ser apresentado pela maioria dos indivíduos em algum momento de suas vidas, com intensidade e duração variáveis”. Apesar de serem fortemente associados a alterações emocionais e situações de estresse, alguns casos podem ter etiologia multifatorial, como oclusão ou fechamento inadequado da boca, por exemplo.

Alguns especialistas qualificam a disfunção como uma alteração muito destrutiva, sendo sua origem tão remota quanto a do próprio homem. Apesar de ser observado em todas as faixas etárias, o distúrbio tende a diminuir com a idade, principalmente após os 50 anos. O tratamento desta disfunção consiste no uso de uma placa que protege os dentes, alivia o sistema mastigatório durante as crises e reduz a atividade elétrica muscular causada pela tensão dos músculos faciais.

“Em casos mais graves é necessária uma reabilitação bucal total, onde se restauram todos os dentes com porcelana, resinas, cerômetros ou até implantes, como nos casos de perda dental” afirma o especialista. O ideal é perceber que o problema não vem do nada e tentar achar suas causas no dia a dia. Um acompanhamento psicológico junto ao dentário pode auxiliar na cura do bruxismo, dado que a terapia identifica e trata as dificuldades emocionais associadas ao distúrbio.

Qualquer situação estressante para alguém pode agravar o problema. O ideal é tentar aliviar a tensão de todas as formas. A prática de esportes e exercícios de relaxamento também são importantes fatores para ajudar a diminuir a stress.

*Paulo Coelho Andrade é mestre em Implantodontia pelo Centro de Pesquisas Odontológicas de Campinas e especialista em Implantodontia pela Associação Brasileira de Odontologia, ambos títulos reconhecidos pelos Conselhos Estadual e Federal de Odontologia.



A arte de partejar

Não há pai, mãe ou responsável que não queira o bem para o seu filho.


Evangelho, Justiça e Paz

A Comissão de Justiça e Paz de Vitória foi criada em 1978 pelos Bispos Dom João Baptista da Motta e Albuquerque e Dom Luís Gonzaga Fernandes.


Leonardo da Vinci, o maior gênio

Leonardo da Vinci quase não frequentou escola formal, mesmo assim o grau de sua genialidade é tão alto que, no plano terrestre, é uma figura inexplicável.


Você é falsamente feliz?

As redes sociais digitais são cheias de mensagens positivas, fotos felizes, em lugares lindos, radiantes.


Streaming é cultura; cultura é direito

Cultura acessível deveria ser uma premissa, e não uma luta.


E se julho fosse seu novo réveillon?

Assim como a virada do ano costuma ser uma época para refletir sobre o que você deseja alcançar no novo ano, que tal tentar o mês de julho para pensar no seu próximo semestre?


Educação e civilidade faltam a parlamentares federais

Educação e civilidade são o mínimo que se espera de um parlamentar.


O brasileiro e o contexto sociopolítico

O brasileiro é conhecido por sua alegria e seu jeito de lidar com as adversidades.


A sub-representação no Congresso Nacional

No Congresso Nacional somente 10% dos representantes na Câmara dos deputados são mulheres.


A moralização do Brasil é muito difícil

Ser político no Brasil é um grande negócio, é como acertar na loteria, dadas as vantagens auferidas no presente e no futuro.


Uma análise do acordo Mercosul e União Europeia

As consequências do acordo Mercosul – União Europeia ainda são especulativas


Ordem no Parlamento!

Desde os tempos do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o Congresso Nacional tem imposto espetáculos degradantes aos brasileiros.