Portal O Debate
Grupo WhatsApp


De olho nos perigos dos plásticos

De olho nos perigos dos plásticos

19/08/2014 Rafael Cavalcante

Eles são nossos maiores aliados quando o assunto é refrigerar e conservar alimentos em casa.

Os sacos e filmes plásticos são práticos, baratos e podem ser usados para diversos fins, porém seu consumo requer algumas atenções, pois existem produtos indicados para o uso específico em micro-ondas, forno ou freezer.

Nem todos os itens disponíveis no mercado atendem às necessidades do consumidor, pois em suas formulações podem conter substâncias tóxicas. Pesquisas recentes apontam que algumas substâncias químicas presentes nos plásticos estão associadas ao desenvolvimento de doenças como o câncer de mama, má formação de embriões, interferências no sistema endócrino e outras.

A formulação dos elementos químicos presentes nestes produtos varia de acordo com cada fabricante, por isso, algumas empresas abriram seus olhos para a substituição de materiais que não coloquem em risco à vida de seus consumidores. A ciência e a tecnologia da polimerização têm desenvolvido materiais para se adequarem às necessidades de novo consumo, o mais usado e conhecido é o plástico esticável de PVC, utilizado para acondicionar alimentos, protegendo-os contra umidade e bactérias.

Resistente, impermeável e versátil, é ideal para vedar potes com comida que vão para a geladeira. Porém seu uso deve ser feito apenas em temperatura ambiente e baixa (-18º a 40º). Mas há também plásticos para outras necessidades, como o polietileno tereftalato (PET), matéria-prima utilizada em embalagens flexíveis, ele suporta altas temperaturas e pode entrar em contato direto com o alimento, temperos e até gordura sem causar nenhum mal à saúde.

O polietileno (PEBD e PEAD) também é outro plástico muito utilizado na indústria alimentícia. Flexível, leve e resistente a impactos e rasgos, em sua forma virgem é indicado para armazenar, congelar e transportar alimentos. Mas, em meio a tantas opções, como saber se o produto que pretendo adquirir não oferece riscos à saúde? É preciso sempre se informar se o produto colocado dentro do carrinho do supermercado é o ideal para o procedimento que se deseja realizar. O consumidor precisa compreender que há um produto para cada fase de preparo ou conservação do alimento.

A falta de informação pode levar a erros comuns e perigosos, como adquirir o plástico de PVC esticável para uso em altas temperaturas. Esse material possui em sua composição química uma substância tóxica chamada dioxina, que é liberada no processo de aquecimento do produto. O mesmo ocorre se for usado em temperaturas extremamente baixas. Por isso, fique de olho no que você leva para dentro de casa e garanta o bem estar de sua família.

*Rafael Cavalcante é gerente de marketing da Útil Kiko, empresa de descartáveis presente no mercado há mais de 40 anos.



Roda de histórias

Meu avô paterno, Seu Dito, era um bom contador de histórias. Contava com a mesma ênfase, fatos e ficções.


Infodemia: a pandemia de desinformação

Todos os dias em nossos smartphones, computadores e TVs, temos uma verdadeira chuva de informações, e nem sempre é possível conferir a veracidade delas.


O problema não é a Cloroquina

Estamos diante de uma doença ameaçadora, nunca antes vivida por nossa geração.


Liderança: Arte e Ciência

O que faz uma pessoa aceitar e reconhecer a liderança de outra?


Reflexões éticas em tempos de Coronavírus

Atualmente, vivemos num cenário de turbulências e preocupações com os impactos sociais e econômicos atuais que virão em decorrência da pandemia do vírus Covid-19.


O direito de ser pedra e o direito de ser vidraça em tempos de pandemia

O pior nessa história toda, desse período de pandemia da Covid-19, tem sido a guerra violenta de versões apresentadas sobre o problema.


O oxigênio da vida

Eles moravam em um dos bairros mais violentos de São Paulo. Estavam perto dos 20 anos. Eram três amigos de infância.


Um vazio de lideranças

Qual o paradeiro dos líderes? Eles possivelmente estão por perto, mas nós não os enxergamos.


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson

A esquerda diz temer pela Democracia em razão de alguns pronunciamentos do Presidente Bolsonaro.


No tempo da pandemia

Nesta época de quarentena, assisti, pela rádio, à transmissão de cerimónia religiosa: missa.


O Mal

Agostinho dizia que o mal não é um ente em si, porque não é possível que um D’us bom tenha criado o mal.


As palavras que faltam

Há muitas coisas em falta no mundo.