Portal O Debate
Grupo WhatsApp

É para frente que se anda!

É para frente que se anda!

26/01/2016 Luís Fernando Cordeiro

O mundo parece desabar quando sai a lista dos aprovados no vestibular e você não encontra o seu nome.

Logo, a angústia pela espera do resultado se transforma em frustração. A vergonha por não ter correspondido às expectativas dos amigos e familiares, que estiveram o ano inteiro do seu lado, só piora as coisas.

No desespero, alguns buscam vagas remanescentes, esquecendo que a escolha de hoje pode ser decisiva para o futuro. Uma faculdade ruim ou um curso errado podem custar muito mais que um ano de vida.

O primeiro passo é aceitar a derrota. Devemos encarar os obstáculos como uma forma de mudar, de repensar, de fazer diferente. O fracasso traz consigo dois benefícios: aprendemos o que não funciona e ganhamos a oportunidade de tentar um novo caminho.

Agora é hora de refletir o que você poderia ter feito melhor, identificar os pontos fracos e, principalmente, trabalhar a persistência, transformando a frustração em motivação.

A nova fase é uma nova batalha e você já começa essa nova batalha em vantagem em relação aos seus concorrentes, pois tudo o que absorveu fica guardado. A aceitação do fracasso deve ser acompanhada por um profundo processo de autoconhecimento.

Existem quatro motivos que podem tê-lo levado à derrota e você precisa descobrir qual é, antes de retomar os estudos:

1. Você possui motivos externos, físicos ou emocionais que atrapalham os seus estudos. Neste caso, um médico ou psicólogo deve ser consultado. Primeiro, trate a causa do problema - e depois garantirá força total para a batalha. Lembre-se que a alimentação saudável, o lazer, a atividade física e o descanso estão diretamente ligados à energia que terá para suportar todo o processo até o final.

2. Você não estudou o suficiente. Lembre-se que não há vagas para todos e, desta vez, havia gente mais preparada. Existe um tempo natural para que a pessoa adquira todo o conhecimento que precisa para estar apta a enfrentar um vestibular concorrido. Não é em um ano de estudo que se absorve todo o conteúdo. É desde o ensino fundamental.

Para ser aprovado num curso de Medicina, por exemplo, são necessários de três a quatro anos de estudo. Ou seja, quem teve uma boa base, estuda fortemente desde a primeira série do ensino médio, passa por um bom cursinho, pode ser aprovado de primeira. Já quem não estudou direito no ensino médio, chega no cursinho para o primeiro ano de estudo. Aqui entra muito bem aquele ditado “no pain, no gain”.

3. Você estudou muito, mas de forma errada. Só presenciar as aulas é provavelmente o método menos eficaz de aprendizagem, cujo sucesso está atrelado à mesma matéria sendo trabalhada a partir de diferentes estímulos. Aula, textos, exercícios e anotações sobre um determinado assunto, quando compilados, se mostram quase imbatíveis.

Afaste-se das distrações inúteis e defina prazos e recompensas para cada objetivo. Tenha método e disciplina. Exercite o mindfulness – a fadiga é um dos pontos que compromete o raciocínio do vestibulando. Não adianta varar as noites, pois, na hora da prova, você estará disperso para fazê-la.

4. Você estudou muito e da forma correta mas, na hora da prova, perdeu tempo demais e não conseguiu resolver todos os exercícios. Tente treinar a agilidade nos simulados. Em casa, pode-se exercitar controlando o tempo que usa para resolver as questões.

Lembre-se: o fracasso é um desvio temporário – e não um beco sem saída. Se você fracassou, já está muito mais perto do sucesso do que quem nunca tentou.

* Luís Fernando Cordeiro é professor de Física no Curso Positivo.



Ser mãe é padecer… de cansaço?

Há um ditado que afirma que “ser mãe é padecer no paraíso”, remetendo às contraditórias emoções que seriam desencadeadas pelas vivências cotidianas da maternidade.

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Polícia liberada para trabalhar como sabe

Os contumazes amantes da desordem e defensores intransigentes dos criminosos torceram o nariz quando o governador Rodrigo Garcia determinou o aumento do número de policiais nas ruas (a cidade de São Paulo aumentou de 5 mil para 9.740 o número de policiais em ação) e declarou que quem levantar arma contra a polícia vai levar bala.


Eleições e os bélicos conflitos entre os Poderes

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e, agora, as Forças Armadas estão aumentando a ofensiva contra a transparência e a segurança do processo eleitoral no Brasil.


Os amores de Salazar

O conceito que se tem de Salazar, é de político solitário, déspota e por vezes impiedoso. Mas seria o estadista, realmente, assim?


Expectativa de grande crescimento

Em função da pandemia causada pela covid-19, os anos de 2020 e 2021 foram bastante desafiadores, particularmente para a indústria de máquinas e equipamentos.


A importância da diversificação de investimentos em diferentes segmentos

Mesmo com os desafios impostos por dois anos de pandemia, o volume de investimentos para iniciativas brasileiras em 2021 foi expressivo.


Muito além do chip da beleza

Você, com certeza, nos últimos meses já ouviu falar do famoso “chip” da beleza.


Educação para poucos é o avesso de si

Intitulado “Reimagining our futures together: A new social contract for education”, um estudo recente da Unesco é categórico logo nas primeiras páginas: “Nossa humanidade e Planeta Terra estão sob ameaça”.


Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Tenho experimentado que o “traço de mãe”, plantado por Deus no coração de cada mulher que Ele criou, vai além da capacidade de gerar filhos, biologicamente.

Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Bullying: da vítima ao espectador

O bullying é um tipo particular de violência, caracterizado por agressões sistemáticas, repetitivas e intencionais, contra um ou mais indivíduos que se encontram em desigualdade de poder, gerando sofrimento para as vítimas, agressores e comunidade.


Desafios e oportunidades para o saneamento

Considerado um dos menos atrativos na infraestrutura, o setor de saneamento passa por uma profunda mudança de paradigma com a aprovação da Lei 14.026/2020.

Desafios e oportunidades para o saneamento

Os desafios de lidar com maternidade e realização profissional

A experiência da maternidade é o momento mais importante na vida da mulher, no entanto um dos mais preocupantes também.