Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Empresas existem para cuidar das suas comunidades

Empresas existem para cuidar das suas comunidades

02/12/2020 Luis Dix

Certa vez, me pediram para dar aula de Teoria Geral da Administração para uma turma de 1º ano de graduação.

Passado o susto do público, me deparei com um conceito antigo, mas atualíssimo: empresas existem para cuidar das suas comunidades. Produtos e serviços são criados - e vendidos, por que não? – para melhorar as vidas das pessoas.

Estamos falando de empresas com propósito na essência! E empresas que pensam nas suas comunidades, são mais vencedoras. Não é simples retórica.

Desde a sua criação em 1999, o Dow Jones Sustainability Index (DJSI) tem performance melhor que o Indice Dow Jones “puro”.

O DJSI é composto pelas empresas líderes em retorno aos acionistas, ponderado pelos riscos Econômicos, Ambientais e Sociais. Em outras palavras, empresas que são ESG (Environmental, Social and Governance).

Após quatro anos trabalhando no 3º setor (depois de 25 anos de mundo corporativo), é fácil perceber que muitas empresas querem, de coração, achar o seu propósito – basta vermos os mais de R$6 bi doados na pandemia.

Mas, não é um processo fácil. Principalmente para as mais antigas, que já passaram por diversas transformações e ciclos. E, sim, ser uma empresa ESG é um novo começo. Assim como ser digital. Precisa estar no centro, ser foco.

Não é fácil dar o primeiro passo, nem são rápidos os resultados. Mas é essencial que se faça esse movimento. Investidores já preferem empresas ESG.

Não estamos falando só de reduzir a quantidade de impressões ou “pagar” pelas pegadas de CO2, ou dar brinquedos para alguma Organização Social no dia das Crianças e Natal.

Estamos falando de se ter processos internos que respeitem a sociedade, começando pela interna, e gerem produtos, serviços e impactos positivos. Ilusão? Poliana? Não. É realidade.

A empresa precisa garantir resultados concretos e duradouros. Precisa ter controle sobre o investimento ambiental e social, assim como uma governança dos seus negócios e parceiros.

As empresas não precisam criar ONGs próprias. Podem contar com organizações sérias que já fazem o trabalho de colocar a mão na massa. O quanto antes as empresas começarem a pensar nisso, mais rápido vão se adaptar e ganhar mercado.

Podem até chamar de “novo normal”, mas o fato é que não é novo, mas é cada vez mais normal. Em 1999, somente 280 empresas compunham o DJSI. Em 2019, já eram 1.166.

E, acredite: fazer bem e o bem fazem bem. A todos!

* Luis Dix é Gerente Executivo de Desenvolvimento Institucional da Liga Solidária, organização social sem fins lucrativos que atua em São Paulo.

Fonte: SAX Comunicação




O pedido

Há comigo uma dúvida que me persegue, que me atormenta, e agora mesmo penso nela, depois da chegada da Maninha, do Ronaldo, que todo dia vêm ver se eu ainda não desapareci.


O que é empreendedorismo de impacto social?

O empreendedorismo vem crescendo nestes últimos anos como uma alternativa de sobrevivência e busca de realização pessoal.


Ações mais comuns na Justiça do Trabalho

O ano que passou não foi fácil para o trabalhador. O desemprego aumentou.


Síndrome de Tourette: o popular tique nervoso

A Síndrome de Tourette é pouco conhecida e atinge apenas 0,6% da população em geral. É popularmente conhecida como “tique nervoso”.


Quanto você pagaria por uma vacina contra a Covid-19?

A Constituição brasileira prevê que a saúde é direito de todos e dever do Estado (art. 196), mas permite expressamente a atuação da iniciativa privada no setor (art. 199).


Janeiro Branco

Todo cuidado conta! Em 2014, na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, o psicólogo Leonardo Abrahão idealizou a companha conhecida como "Janeiro Branco".


A arte de escrever para crianças

Escrever para crianças, é arte delicada que poucos dominam.


2021, o ano das bolsas

O ano de 2021 deverá ser um dos melhores anos para os investidores do mercado de ações; entretanto, existe uma combinação de fatores que devem ser analisados ainda em 2020, principalmente para os que desejam começar a investir ainda neste ano.


Agro é vida – Adube um meio ambiente melhor

Os adubos são caminho seguro para aumentar a produção das culturas e, assim, colocar mais alimento à mesa.


A CPMF e o imposto da janela

Em 1696, os britânicos encontraram uma maneira criativa de um novo imposto e começaram a taxar as janelas.


Sementes de esperança

Em 1500, quando, na carta-relatório do Descobrimento do Brasil ao rei português D. Manoel, o escriba Pero Vaz de Caminha relatou que "aqui em se plantando tudo dá", jamais poderia imaginar que, 520 anos depois, um bem intangível de imenso valor também estaria brotando de nossa abençoada terra: a esperança.


Antes inimigos declarados, bancos começam a flertar com o Bitcoin

Estamos vivenciando um momento único na humanidade e também na história do Bitcoin.