Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Futebol? Que nada! 2021 foi o ano da Seleção Brasileira de Astronomia

Futebol? Que nada! 2021 foi o ano da Seleção Brasileira de Astronomia

26/12/2021 Prof. Dr. Eugênio Reis

Com resultados históricos em competições internacionais, brasileiros superam os desafios do país e mostram que podem ir muito além com mais apoio.

A um ano da Copa do Mundo no Catar, o desempenho dos nossos jogadores de futebol ainda é motivo de muitas críticas e incertezas.

Na contramão disso, uma outra seleção tupiniquim está batendo um bolão e recordes em 2021: a de astronomia.

Apesar de ainda termos muito a caminhar para abraçarmos todos os nossos jovens, de Norte a Sul, a cada ano conquistamos resultados cada vez mais expressivos em olimpíadas científicas internacionais.

Ouso afirmar que já somos uma potência científica. Mas pouco se fala dos nossos "campeões do saber", e o desempenho de nossos alunos em 2021 foi o maior da história. Este ano, todos os estudantes brasileiros que participaram das competições foram medalhistas.

Na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), todos os nossos heróis da astronomia chegaram ao ponto mais alto do pódio pela primeira vez numa mesma edição, faturando nada mais, nada menos do que 5 medalhas de ouro.

Enquanto que, na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), o que seria a “Copa do Mundo da Astronomia”, a seleção brasileira conquistou o inédito ouro, chegando ao total de duas medalhas douradas, quatro de prata e quatro de bronze.

Esses resultados corroboram que as iniciativas científicas são as principais ferramentas de que dispomos no país para estimular nossos jovens a estudar mais e melhor.

Colaboram para a melhoria do processo educacional, estimulando a capacitação e a atualização de professores e ainda favorecem a identificação de alunos talentosos.

O país tem hoje aproximadamente 50 milhões de alunos, dois milhões de professores e 180 mil escolas. Entretanto, ao contrário do futebol, as olimpíadas de conhecimento, extremamente efetivas quando comparamos o seu alcance com o seu custo, ainda carece de mais investimentos.

Para além do apoio importante dado pelo MEC e pelo MCTI, parlamentares podem seguir o exemplo da deputada federal Tabata Amaral, que já foi medalhista nacional e internacional de astronomia, e destinou recentemente parte de suas emendas parlamentares à Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e à Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas (OBMEP).

As empresas também podem colaborar e se beneficiar desse apoio, com programas de parcerias para a retenção e desenvolvimento de talentos desde a base.

Somente por meio de um trabalho em conjunto poderemos melhorar todas as cadeias do processo educacional das redes públicas e privadas em todo o território nacional, e assim construirmos um futuro melhor para os nossos jovens.

A OBA, por exemplo, promove todo ano os Encontros Regionais de Ensino de Astronomia (EREAs), que capacitam professores e introduzem os alunos no universo das ciências espaciais.

O evento já acontece há mais de uma década e percorreu centenas de cidades, chegando inclusive a presídios, o que vem ajudando determinantemente na popularização da ciência no país e no crescente interesse dos alunos e dos educadores pela olimpíada.

Realizada geralmente com recursos de apoios de prefeituras, governos de estado e empresariado, a iniciativa leva palestras, cursos e atividades lúdicas, com especialistas e planetário itinerante, movimentando toda a comunidade.

Se, mesmo com pouco investimento, conseguimos resultados tão promissores, imagine o quão longe poderemos levar nossos estudantes com mais recursos? Quantas vidas poderão ser transformadas?

* Prof. Dr. Eugênio Reis é astrônomo, vice-coordenador nacional da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e pesquisador colaborador do MCTI.

Para mais informações sobre astronomia clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Mercado da Comunicação



Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.


Burnout: um diagnóstico impossível

Inicialmente, preciso dizer que ao apresentar minhas opiniões sobre burnout não estou questionando o sofrimento alheio, nem colocando em dúvida que pessoas que tenham recebido o “diagnóstico” de burnout não estejam em sofrimento, eventualmente grave.


Mercado de equipamentos médicos brasileiro é promissor

Preço, qualidade e eficácia. Esses são alguns pilares fundamentais para que qualquer produto receba destaque no mercado.


Saúde não tem preço. Mas tem custo

A água de boa qualidade é como a saúde. Só percebemos o valor dela quando acaba.


Aprender a aprender

Uma querida amiga que esteve na linha de frente da Covid contou um divertimento algo sádico como os negacionistas e anti vacinas, que chegavam no hospital batendo no peito e berrando que não tinham medo do tal do Coronavírus, até começarem os primeiros sinais de febre ou de falta de ar.


Trabalho e Inclusão

O trabalho é um direito das pessoas, em especial daquelas com deficiência, já que o seu exercício possibilita a concretização das capacidades individuais e, assim, das dignidades coletivas e sociais.


Como o estilo de vida do século 21 transforma a saúde e a fertilidade

A fertilidade feminina pode ser alterada por diversos fatores. Nem sempre conhecidos, muitas mulheres acabam tendo dificuldade em engravidar.