Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Janeiro Branco

Janeiro Branco

21/01/2021 Marihá Lopes

Todo cuidado conta! Em 2014, na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, o psicólogo Leonardo Abrahão idealizou a companha conhecida como "Janeiro Branco".

A ideia da campanha é colocar o assunto da saúde mental em pauta para que se construa uma cultura da saúde mental na humanidade. A maior arma de enfrentamento é o conhecimento.

Dentro do âmbito psicológico, a psicoeducação é fundamental para se mudar o estigma que a população possui sobre este assunto.

A educação psicológica fará uma diferença brutal em nossa sociedade. Entender que temos necessidades distintas não nos faz inferior ao outro. O adoecimento psicológico nada tem a ver com não ser forte.

No último ano, 2020, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 93% dos serviços essenciais de saúde mental foram interrompidos devido à pandemia.

No Brasil, o Ministério da Saúde divulgou que cerca de 86,5% dos entrevistados apresentavam sintomas de ansiedade, cerca de 45,5% de transtorno de estresse pós-traumático e depressão grave em torno de 16%. Tais dados confirmam a importância de se debater sobre saúde mental durante todo o ano.

A pandemia trouxe desafios para todas as pessoas e profissões; na psicologia não foi diferente. O uso da tecnologia, que até então era pontual, passou a ser o carro-chefe dos atendimentos.

Se formos pensar de forma crítica, até então os números de atendimentos online eram infinitamente menores que os presenciais, mas, com a mudança forçada pela quarentena, é possível observar pontos muito positivos.

Se estamos falando sobre possibilidade de psicoeducação, nada como a disseminação da profissão pela internet para se alcançar mais pessoas e então levar a reflexão sobre saúde mental a novos lugares, como cidades menores que às vezes tinham apenas um profissional da área e que agora, com o atendimento online, passaram a ser mais assistidas.

Claro que, falando de um país como o Brasil, as desigualdades são infinitas. Nem todos que precisam ainda conseguem ter acesso ao atendimento psicológico.

Quanto mais falamos sobre a saúde mental, mais desmistificamos o assunto, trazendo para o campo do possível e da realidade de cada um.

Afinal, estamos todos à mercê do adoecimento mental, como a depressão e a ansiedade – que são os transtornos mais comuns na sociedade brasileira.

O debate sobre o assunto corrobora para que tragamos o tema para um senso comum, diminuindo as barreiras de linguagem, da condição financeira, educacional e se aproximando do lado humanístico que a profissão preza.

Caso precise de acompanhamento psicoterapêutico, não deixe de buscar ajuda. De forma gratuita, temos os CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), além dos serviços oferecidos pelas universidades que possuem o curso de graduação ou pós-graduação em psicologia, diversos projetos sociais que abraçam a causa e disponibilizam psicólogos para atendimentos sociais e/ou gratuitos, o CVV (Centro de Valorização da Vida), entre outros.

* Marihá Lopes é psicóloga clínica, especialista em terapia cognitiva comportamental e psicologia social.

Fonte: Fato Coletivo



LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.