Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Libertadores da América: a tragédia evitável

Libertadores da América: a tragédia evitável

22/02/2013 Milton Corrêa da Costa

Mais uma tragédia na história da violência e dos atos imprudentes e irresponsáveis no mundo do futebol.

Alguns torcedores do Corinthians estão detidos agora na Bolívia sob acusação de que um deles "mirou errado" um sinalizador e acabou matando um adolescente de 14 anos da torcida adversária, na noite desta quarta-feira, pela Taça Libertadores da América, na partida entre a equipe brasileira e o time boliviano do San José.

Se foi "fatalidade" ou ato criminoso não importa. Melhor teria sido que artefatos fossem proibidos em estádios de futebol por medida de bom senso. Não, lá na Bolívia se permite a entrada de torcedores em estádios de posse de tais objetos que ameaçam a vida de seres humanos. Em 1989 -estava presente e fui testemunha ocular- a seleção brasileira quase ficou de fora do Mundial de 90, em razão do arremesso, no gramado do Maracanã, durante uma partida das eliminatórias contra o Chile, de um sinalizador.

O goleiro Rojas, da seleção chilena simulou que o artefato, que caíra próximo ao seu corpo, o tivesse atingido, fazendo uso de um lâmina cortando o próprio supercílio. Depois confessou a trama. A brasileira Rosemary, que arremessou o sinalizador, ficou conhecida à época como 'a fogueteira'.

O Corinthians pode ser punido agora com a exclusão da Libertadores, até por mais de uma edição, caso seja comprovado o envolvimento de algum de seu torcedor no lamentável episódio.no Estádio Jesús Bermúdez. Imaginem que tragédia para o próprio clube que precisa honrar seus compromissos e investimentos. E a fiel torcida do clube, com milhões de adeptos no país? Que tamanha frustração e decepção!

O ato imprudente e irresponsável, muito presumível -fatalidade é outra coisa- tirou a vida de um menino de 14 anos. Foi atingido no olho pelo artefato e teve perda de massa cefálica, com morte instantânea. Neste contexto há que se considerar o erro injustificável das autoridades e da polícia bolivianas. Dias atrás o Brasil ficou chocado com a tragédia da boate Kiss, em Santa Maria, quando, durante um show de uma banda, um sinalizador arremessado no interior da boate, deu causa a quase 240 mortes.

A segunda maior tragédia coletiva do mesmo gênero no país. Tomara que tenhamos de fato aprendido com a porta depois de arrombada e que os culpados sejam exemplarmente punidos. Espera-se, por outro lado, que pelo menos agora o fatídico episódio de Oruro, no Estádio Jesús Bermúdez, na Bolívia, chame a atenção de autoridades da FIFA e da CONMEBOL e das demais confederações internacionais de futebol, no sentido da adoção de rígidas medidas de segurança fora e dentro dos estádios.

Pelo menos isso. É preciso dar um freio na violência de torcidas de futebol, muitas organizadas tão somente para delinquir, não para curtir a sadia paixão.pelo clube do coração. Fica agora a torcida para que o Corinthians não receba a máxima punição. A torcida brasileira ficaria tolhida de ver na Libertadores uma excelente equipe de futebol e fortíssima candidata ao título.

*Milton Corrêa da Costa é tenente coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro.



Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.