Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Mercado imobiliário deve registrar alta com maior acesso a imóveis populares

Mercado imobiliário deve registrar alta com maior acesso a imóveis populares

14/02/2023 Lidiane Praxedes Oliveira da Costa

Se existe um setor que conseguiu atravessar a pandemia, certamente foi o mercado imobiliário - e as expectativas de crescimento para o ano de 2023 continuam altas.

Estudos revelam que o ano de 2022 registrou um aumento de aproximadamente 46% nas vendas de imóveis, além de uma crescente no lançamento de empreendimentos no mercado. Agora, a tendência é que essa métrica permaneça.

Nos anos anteriores, o aquecimento do mercado se deu, principalmente, com a atuação do consumidor de classe média alta, isto porque houve oportunidades para a aquisição de imóveis à título de investimento, além do upgrade à imóveis classificados como médio e alto padrão.

Em convergência a essa parcela de mercado, alguns consumidores também deram início ao sonho de uma residência de veraneio.

Já para esse ano, aposta-se no crescimento do mercado com relação à participação mais ativa das classes baixa e média.

Nesse sentido, a Associação Brasileira de Incorporadoras preparou uma pesquisa relacionada ao comportamento do consumidor, que trouxe o “crédito facilitado” como principal motivador na intenção de compra da casa própria, já que o novo governo tem como premissa maior igualdade social e econômica. 

Em consonância, ainda existe a promessa do atual governo em retomar o programa Minha Casa Minha Vida, fato que criou uma alta expectativa tanto para as incorporadoras que trabalham voltadas a esse público, como para os consumidores desse setor. Portanto, tudo indica que em 2023 haverá um crescimento do mercado nessa área. 

Porém, não há como fechar os olhos às taxas que atualmente são praticadas pelo mercado, e esse é um entrave que a nova gestão governamental enfrentará, já que os juros elevados se mostram como um obstáculo ao crescimento de contratos de financiamento imobiliário no país.

As boas novas são que estudos indicam uma tendência à queda na valorização dos imóveis, ou seja, passaremos a enxergar um equilíbrio na precificação das propriedades, contrariando a alta disparada dos últimos anos.

Ainda, tendo em vista a pressão inflacionária que vivemos, espera-se que, a partir do segundo semestre, possamos alcançar taxas de juros menores, e observar queda na Selic, o que se mostra um cenário bem positivo a quem deseja investir no setor.

Para aqueles que pretendem investir no mercado imobiliário, portanto, é importante ficar atento às oportunidades que os próximos meses podem reservar, e, claro, contar com cuidados básicos, que incluem jamais dispensar o due diligence documental e estar atento ao contrato imobiliário, que deve apresentar direitos e deveres equilibrados e refletir a exata negociação comercial acordada.

Além disso, é fundamental buscar ajuda especializada para garantir que interesses, direitos e deveres estejam em conformidade e sempre preservados de riscos inesperados.

* Lidiane Praxedes Oliveira da Costa é advogada com atuação em direito empresarial e direito imobiliário, com mais de 16 anos de experiência.

Para mais informações sobre mercado imobiliário clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Isabela Rodrigues



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa