Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O câncer nunca espera

O câncer nunca espera

05/10/2020 Jaqueline Chagas

A pandemia de Covid-19 mostrou de maneira clara e sem filtro as inúmeras mazelas da sociedade.

No Brasil, muitos morreram, milhares ficaram doentes e tantos outros perderam seus empregos. Além disso, aqueles que já estavam doentes, ficaram sem poder se tratar adequadamente ou não puderam fazer exames de rotina.

Por exemplo, segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Patologia e de Cirurgia Oncológica, ao menos 50 mil brasileiros deixaram de ser diagnosticados com câncer.

Outros tantos pacientes, já com o tumor detectado, precisaram ter seus tratamentos suspensos. Cerca de 70% das cirurgias desse tipo de paciente, tiveram de ser adiadas.

Esses dados são resultantes dos cancelamentos ou remarcações de procedimentos considerados não urgentes, como, por exemplo, consultas e exames.

Além disso, muitas pessoas ficaram com medo de consultar um médio ou buscar um hospital pelo receio da contaminação.

Instituições importantes viram a queda de atendimentos durante o período, como o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

Mas será que haverá outras remarcações? Dará tempo de resistir até lá? São questões que quem está com câncer se pergunta o tempo todo. Por exemplo, tive uma consulta que seria em dezembro, mas que foi remarcada.

Ela seria importante, pois determinaria a mudança da hormoterapia, que funciona como uma quimioterapia oral que realizo todo dia, mas que tem tido baixa eficácia. Até quando vou precisar esperar? E outros pacientes na mesma situação, como ficam?

Para piorar a situação de inúmeros pacientes, devido ao medo do contágio do novo coronavírus, há médicos que preferem não tocar em pacientes quando fazem exames nesse período.

Porém, isso é fundamental, já que precisam tocar na mama, na axila e outros pontos para identificar possíveis linfonodos (são gânglios linfáticos, que permitem a possível identificação ou piora da doença).

É preciso ressaltar a séria preocupação com o Covid-19, no entanto, o câncer nunca estará em quarentena. Pelo contrário, a doença nunca espera.

Quem está em acompanhamento, necessitando de exames de rotina para o rastreamento do câncer, que precisa fazer consulta de seis em seis meses, acaba entrando nessa estatística, ora pelas consultas remarcadas ora pelo próprio medo do coronavírus.

Não podemos reclamar o tempo todo da pandemia. Vale ressaltar que muitos problemas do sistema de saúde não são de agora.

O que era deficiente só ficou pior com o aumento do contágio do novo coronavírus. Os pacientes não podem ficar de lado. Como já disse e reforço, o câncer não espera.

* Jaqueline Chagas é contabilista, paciente que luta contra o câncer e fundadora do Grupo Unidas para Sempre, que tem como objetivo dar suporte e apoio ao paciente com câncer e outras patologias.

Fonte: Drumond Assessoria de Comunicação



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa