Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Para lidar com as grandes transformações

Para lidar com as grandes transformações

16/02/2017 Luciana Campos Souza

Convido você para uma viagem no tempo.

Para lidar com as grandes transformações

Volte 10 anos e reflita sobre as seguintes questões: com que frequência você assistia a um vídeo? Como se comunicava com seus amigos? Quem publicava reportagens e notícias?

Como era o acesso à Internet? E agora, nos dias atuais, você percebe alguma mudança? Muitas, não é mesmo? As coisas se transformaram em pouco tempo e continuam mudando a uma velocidade impressionante.

Hoje somos bombardeados por informações, fotos, vídeos, entre outras coisas. Mas quem está criando todos esses conteúdos? São profissionais ou aquele aluno sentado no fundo da sala de aula? Os criadores de conteúdos digitais podem estar em qualquer lugar e irão transformar a forma de se comunicar e pouco tempo.

E com a educação não será diferente. YouTubers, instagrammers e snapchaters estão ganhando fama, uma notoriedade que antes era exclusiva das celebridades. São pessoas anônimas, que, por meio da Internet, compartilham ideias e oferecem informações, não têm medo de se expor e são grandes influenciadores de opiniões.

Criadores de conteúdos profissionais ou não, estão cada vez mais presentes em nossas vidas, formando uma imensa teia entre quem cria e quem “consome” esses conteúdos. Transportando para a sala de aula, é importante refletir: seu aluno tem espaço para ser um criador de conteúdo?

Como a geração que está adaptada a curtir, compartilhar e publicar pode gostar de copiar textos no caderno? Esse é o novo perfil de alunos em nossas salas de aula. E isso é ruim? Não! Isso é incrível, esses novos alunos têm sede de conhecimento e querem disseminar o que sabem.

E aí entra o papel do novo professor, que deve incentivar a criação de conteúdos digitais dentro da sua sala de aula. Mas como fazer isso? Aí vão algumas dicas:

- Não limite seus alunos a atividades de cópia.

- Incentive o uso das redes sociais para compartilhar atividades e conteúdos.

- Solicite atividades ou tarefas que envolvam a criação de vídeo e/ou uso de fotos.

- Indique videoaulas para que os alunos possam estudar em casa.

- Incentive as pesquisas. Não tenha respostas prontas!

- Conheça as tendências, saiba o que os alunos estão “curtindo” no momento.

- Estimule atividades em grupos, que permitam a troca de ideias.

- Crie grupos nos canais de comunicação, para que possam tirar dúvidas e debater assuntos importantes.

- Não fique preso em apresentações em PowerPoint, explore os recursos digitais – os jovens são multimídia e você também pode ser!

- Jamais proíba o uso de tecnologias na sala de aula. Uma boa tática é limitar o uso. Tirar fotografias do quadro negro ou filmar aulas e apresentações, pode. Bater papo nas redes sociais, não pode.

- Seja você também um criador de conteúdo digital, produza vídeos, fotos e textos.

Já dizia o provérbio americano: “Se não pode derrotá-los, junte-se a eles”. Que tal usar seu conhecimento atrelado às dicas e transformar a criação de conteúdo em uma nova experiência também para seus alunos. Hoje a aprendizagem se torna muito mais significativa quando os alunos curtem os conteúdos, compartilham o que aprenderam e publicam suas ideias!

* Luciana Campos Souza é Orientadora Educacional da Planneta, empresa do grupo Vitae Brasil.



Bolsa vs Startups. Porque não os dois?

Vivemos um momento de grandes inovações e com os investimentos não é diferente.


Os pecados capitais da liderança

“Manda quem pode, obedece quem tem juízo.”


“Pensar Global, Agir local”: O poder do consumo consciente

A expressão “Pensar Global e Agir local” já é lema em muitas esferas de discussões políticas, econômicas, sobre sustentabilidade e solidariedade.


Vencido o primeiro desafio da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) regulamenta o tratamento de dados de pessoas físicas nas suas mais variadas aplicações e ambientes.


Telemedicina, fortalecimento do SUS e um primeiro balanço da pandemia

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, alertou Camões. Todo o mundo é feito de mudanças.


Médico: uma profissão de risco

Estudar medicina é o sonho de muito estudantes, desde o cursinho o futuro médico se dedica a estudar para conseguir entrar no super concorrido curso de medicina.


Como a quarentena provocou o êxodo urbano para cidades que oferecem mais qualidade de vida

A pandemia e as medidas de isolamento social fizeram com que as pessoas precisassem adaptar a rotina de trabalho, estudos, lazer e até de saúde, trazendo estas atividades para dentro de casa.


A era do fogo chegou

Pantanal, um dos biomas com maior biodiversidade do mundo, já teve 16% de todo território queimando.


Autoconhecimento: uma regra de ouro da vida

Há quem os critique, há quem os ame; eles já me resgataram do fundo poço e lhes sou grata: os livros de autoajuda.


Você tem curso universitário?

Naquela macia manhã de domingo, fui com meu pai, à missa, na igreja de Santíssima Trindade.


Voto é interesse. Não é direito, nem dever…

A partir desta quarta-feira (16), os mais de 5600 municípios brasileiros já conhecem os homens e mulheres que pretendem governá-los ou ser vereadores entre 01/01/2021 e 31/12/2025.


7 tendências em Analytics que estão mudando a área financeira

Segundo a consultoria McKinsey, mais de 90% dos 50 principais bancos do mundo utilizam, de forma avançada, a tecnologia de análise de dados, também conhecida como Analytics.