Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Precisamos da vacina e de novas doses de resiliência

Precisamos da vacina e de novas doses de resiliência

27/04/2021 Leandro Figueira Neto

Uma das palavras mais mencionadas nos últimos meses em todo o mundo foi pandemia.

A outra foi saúde. E a terceira resiliência - habilidade de quem é capaz de transformar experiências negativas em aprendizado, conseguindo, inclusive, tirar benefício delas.

A resiliência vem com os anos e pode ser aplicada tanto na vida pessoal quanto na profissional - um pouco diferente da saúde, a qual vamos perdendo com o passar da idade.

No meio dessa crise que vivemos, ambas são mais necessárias do que nunca. Primeiro porque o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e, em muitos casos, nos sufoca, haja vista a pressão a qual somos submetidos.

As constantes mudanças no ambiente de trabalho, demissões em alta, diminuição de salários e redução de vagas provocam insegurança e levam à exaustão emocional, prejudicando sobremaneira nossa saúde.

Por mais que nós, da área de gestão de pessoas, estejamos desenvolvendo inúmeras ações para proporcionar confiança, somos impactados por um macroambiente instável.

Nesse cenário, os resilientes se sobressaem, pois enxergam desafios como necessários e veem em cada problema uma oportunidade - minimizando os danos ao bem-estar físico e mental.

Não quero dizer que pessoas com pouca resiliência perderão seus empregos ou ficarão doentes. Para cada função, determinadas virtudes.

Mas, se resolver problemas e conflitos e saber lidar com opiniões e pessoas diferentes são as aptidões do profissional do futuro, está aí uma grande oportunidade para os resilientes.

Vejamos pela ótica da pandemia. Trabalhar em Home Office, longe dos colegas de trabalho, com a vida social praticamente resumida a eventos virtuais, sem poder viajar com a mesma intensidade de anos anteriores e com restrições diárias inimagináveis.

Ora, quem em sã consciência seria capaz de dizer que conseguiríamos viver assim? Em meio a tudo isso, a resiliência veio junto com a obrigatoriedade da máscara e do álcool em gel.

Inteligência emocional foi outra vocação exigida pela pandemia. Se tornou item de primeira necessidade, mas não a encontramos nas prateleiras de farmácias e supermercados.

Ela está dentro de cada um de nós. Na educação que recebemos, nos nãos que ouvimos e nas frustrações que vivemos.

Como, por exemplo, não poder ir para a praia no próximo feriado ou aproveitar um hotel na beira da praia nas próximas férias.

No fim das contas, a Covid-19 nos obrigou a sermos inteligentes no âmbito emocional, mas, ao mesmo tempo, nos ensinou a importância dela.

Sairemos dessa pandemia melhores e mais fortes. Porque, se formos capazes de superar todas as intempéries causadas pelo novo coronavírus, estaremos aptos a enfrentar as adversidades familiares e profissionais.

A vacina para a Covid-19 vai imunizar a todos, em breve. Mas não podemos, jamais, esquecer das doses frequentes de resiliência das quais precisamos.

* Leandro Figueira Neto é diretor de Recursos Humanos do Grupo Marista.

Para mais informações sobre resiliência clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



Nexialista: o profissional plural do futuro ou de hoje?

Que o mercado de trabalho tem se transformado de forma cada vez mais acelerada, e o nível de exigência por profissionais talentosos é crescente dentro das empresas, todo mundo já sabe; não é verdade?


Onde a geração Z investe

O último Anuário de Retorno de Investimentos Globais do Credit Suisse, entre outras coisas, apresenta um raio-x de alternativas de financiamento para a Geração Z, aqueles que nasceram entre 1995 e 2000.


A CPI pariu um rato

Fosse hoje vivo, é o que Horácio, o pensador satírico romano diria sobre a CPI da Covid.


Como identificar um ingresso falso?

Com recorrência vemos reportagens abordando diferentes fraudes e golpes que aparecem no mercado.


A primeira visita de D. Pedro a Vítor Hugo

O livro: "Vitor Hugo chez lui", inclui a curiosa visita, realizada pelo Imperador, a 22 de Maio de 1877, ao célebre poeta.


São Frei Galvão, ‘Homem de paz e caridade’

A Igreja celebra, em 25 de outubro, a Festa de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, que na devoção popular é conhecido como “São Frei Galvão”.


CPI da Covid desviou-se e não sabe como terminar

Chegamos ao cume da montanha de inconveniências que povoam o cenário contemporâneo da política brasileira.


Sentimentos e emoções provocadas pela série “ROUND 6”

Nas últimas semanas estamos vivenciando uma série de críticas, comentários, “spoilers” e reflexões sobre a série sul-coreana de maior sucesso da plataforma Netflix: “Squid Game” ou “Round 6”.


Perdas e ganhos dos médicos “filhos” da pandemia

A maioria das situações com as quais nos deparamos na vida tem dois lados. Ou, até, mais de dois.


Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).


Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.


Salvar a dignidade também é salvar a vida

Quando recebemos o diagnóstico de uma doença grave, crônica ou que ameace a vida, muita coisa muda.