Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Primavera, tempo de renovação

Primavera, tempo de renovação

07/09/2016 Kie Kume

Setembro no Brasil e em todo o hemisfério Sul. Março, no hemisfério Norte.

Em comum, a chegada da primavera é um tempo de muitas flores e renovação. Os pássaros voltam a cantar. A natureza ganha nova vida, enchendo nossas almas de alegria, renovando nossas esperanças e sonhos de felicidade.

Uma nova força nos invade e mexe com nossa vontade de lutar, de trabalhar, de conquistar, de amar com mais intensidade. Ah! Como seria maravilhoso se todas as pessoas do mundo pudessem ser contaminadas por este espírito de renovação da vida.

Vivemos dias difíceis no Brasil nos últimos meses e terríveis atentados voltaram a espalhar o pânico na Europa e Oriente Médio, justamente no ano do 15º aniversário do atentado contra o World Trade Center, nos EUA, em setembro de 2001.

Neste início de século 21, o mundo parece mortalmente tomado pelo ódio. Um número cada vez maior de pessoas está perdendo o rumo e abandonando a fé em Deus. Os conflitos raciais e religiosos se multiplicam.

Como afirma o autor japonês Ryuho Okawa em seu livro As Leis da Justiça, “as pessoas que odeiam religião costumam achar que as religiões são a causa de muitas guerras. Na realidade, porém, as guerras ocorrem devido a essa maneira estreita de pensar que os humanos construíram ao longo do tempo, e também porque as religiões foram incapazes de rever seus ensinamentos originais. As pessoas que seguem os ensinamentos originais por longo tempo não conseguem acompanhar as mudanças na sociedade, então entram com frequência em choque com as outras, como fazem os fundamentalistas”.

A humanidade precisa de uma primavera, de um novo horizonte, de sentimentos religiosos capazes de, como diz Okawa, “livrar este mundo de várias incoerências, confusões e mal-entendidos e de reduzir o ódio e o conflito”. Cada um de nós precisa de uma primavera, de renovação espiritual.

Como é sábia a natureza que, a cada ano, deixa cair suas velhas folhas para se revestir de novas, mais verdes e carregadas de seiva. Como as árvores, nós também precisamos trocar de roupa, nos revestir de uma nova vida, deixando que a fé percorra nossas veias e alimente nosso coração.

Como jardins que se enchem de flores, devemos deixar que novos sentimentos de amor, esperança e confiança envolvam nossas vidas. A primavera também é um tempo ideal para cuidarmos melhor de nossa saúde corporal, abandonando hábitos sedentários do inverno, fazendo um investimento em nossa forma física.

“Encare sua saúde como outra forma de poupança”, diz o autor Okawa em seu livro “Trabalho e Amor”. Não espere seu corpo dar sinais de que não está bem para praticar exercícios. “A força física tem um papel extremamente importante na promoção da atividade mental.

Por mais estranho que pareça, quanto mais suas pernas e braços se fortalecem, mais rápido seu cérebro consegue trabalhar e mais raramente você se cansa com facilidade.” Na prática, “fazer algum tipo de atividade física pelo menos uma vez por semana é o segredo para não ficar doente.

Se você conseguir se exercitar duas vezes por semana, poderá manter sua força física num nível bem superior ao da média. Se conseguir se exercitar três ou mais vezes por semana, sem dúvida descobrirá que é capaz de pensar de maneira bem mais construtiva.

Se quiser realizar alguma tarefa importante, é vital que tenha a força física para desempenhá-la. Sem isso, a tendência é você ficar pessimista e querer fugir das situações.” Abra as janelas de sua vida, abra as portas de seu coração. Olhe as árvores e as flores, sinta a força da natureza.

Perceba como toda essa renovação que a natureza e a fé em Deus oferecem podem dar um novo rumo a sua vida. E quanto mais pessoas se renovarem, mais fácil será a construção de um mundo novo. E a primavera do amor será eterna.

* Kie Kume é gerente da IRH Press do Brasil, que publica os livros em português do autor Ryuho Okawa, um dos mais prestigiados no Japão – com mais de 100 milhões de cópias de seus livros vendidas, em 28 idiomas.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa