Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Quaresmeiras

Quaresmeiras

02/03/2018 Francisco Habermann

Venho observando quaresmeiras floridas na cidade já há algum tempo.

Sei que a festa nem acabou ainda em alguns lugares do Brasil enquanto a realidade retorna crua para a maioria sobrevivente nos caminhos da existência. Nesse cotidiano mais real eis que o pensamento é despertado para as belezas mais profundas da vida.

Venho observando quaresmeiras floridas na cidade já há algum tempo. É um brilho surpreendente, todo especial. Seus arbustos simples, até rústicos, são acostumados às terras fracas, quais dos corações humanos enganados ou desenganados com as ilusões do mundo. Suas flores buscam o brilho da simplicidade.

Esta lembrança me vem com uma história real. Nunca mais me esqueci da cena alertada pela minha ilustre professora quando me deu carona de retorno para casa, após as tarefas hospitalares. Ao passar por rua pela qual eu trafegava diariamente, mostrou-me o canteiro de flores que eu nunca havia reparado antes.

Fiquei surpreso com minha cegueira ou desatenção diante daquelas belezas. O diagnóstico não era de visão defeituosa mas de sensibilidade pobre, qual terra fraca. Isso me marcou para sempre. Hoje presto atenção no trajeto que faço, independente do destino.

Chego a me perder, mas quero apreciar o caminho. E fico feliz com as sensações colhidas nessa jornada, qualquer que seja, podendo mesmo ser a da própria vida. Aliás, dizem os entendidos que felicidade não é mesmo o destino, é o próprio caminho. Acho que estou aprendendo, caminhando. Seguirei em frente.

As flores roxas do caminho já me levaram a confundi-las. Outro dia mesmo imaginei, ao longe, estar vendo uma daquelas conhecidas quaresmeiras, mas eis que estava diante de um manacá da serra. Para distingui-las é necessário observação de detalhes botânicos. São duas belezas trazidas da Mata Atlântica para o nosso convívio.

Leio que o manacá diferencia-se das quaresmeiras principalmente pela coloração das flores, que ao se abrirem são brancas, no dia seguinte ficam de cor lilás e no terceiro dia tornam-se roxo-violáceas. Já as quaresmeiras têm o centro da flor branco e este fica avermelhado depois de visitada pelo inseto que a poliniza.

A quaresmeira roxa é comum, a de coloração rosa foi conseguida através mutação gênica. Entre quaresmeiras e manacás, fico com todas as flores. O importante mesmo é que foram as pequeninas e multicoloridas maria-sem-vergonha (beijinhos) que despertaram tudo isso em mim, aquelas do canteiro extenso que eu nunca reparara antes, mesmo passando tantas vezes naquela rua da vida.

Agradeço à gentil e sábia professora. E nem era tempo da quaresma. Beijinhos florescem o ano todo!

* Francisco Habermann é professor da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu.



Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.


A despolitização do Supremo Tribunal Federal

Não pode funcionar bem e com total isenção uma corte ou tribunal de indicação e nomeação política.