Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A lentidão da Justiça e a saga da Midas Trend: uma ameaça renovada

A lentidão da Justiça e a saga da Midas Trend: uma ameaça renovada

11/07/2023 Jorge Calazans

O universo dos investimentos é frequentemente palco de histórias de ascensão meteórica.

No entanto, nem todas essas histórias possuem finais felizes, especialmente quando envolvem esquemas fraudulentos, como o caso da Midas Trend.

Esta empresa, sob a liderança dos irmãos Devanir e Devaney Vieira dos Santos, está atualmente sob investigação por sua suposta participação em um esquema de pirâmide financeira que afetou milhares de famílias. Nesse caso estima-se que sejam cerca de 60 mil vítimas.

O Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA) já iniciou uma ação civil pública contra a empresa e seus gestores, o que pode ser considerado um passo positivo na direção correta.

Contudo, a lentidão do progresso dessa investigação tem sido alarmante. Enquanto o processo se arrasta, os supostos infratores estão, aparentemente, se envolvendo em novos esquemas.

Recentemente, Devanir Santos iniciou novas operações, conhecidas como METWAY e ProfitWay, que parecem seguir o mesmo padrão observado na Midas Trend, incluindo, lamentavelmente, o não pagamento de seus investidores.

De maneira ainda mais audaz, Santos solicitou recentemente, durante uma transmissão ao vivo, que as vítimas fizessem um novo aporte de R$ 100,00 para recuperarem seus investimentos.

Considerando as 60 mil vítimas do esquema original, se cada uma delas atender ao pedido de Santos, ele poderá arrecadar até R$ 6 milhões. Esse é um número chocante, que reforça a urgência de uma ação eficaz das autoridades.

Diante dessa situação preocupante, é essencial que haja uma resposta urgente das autoridades. Afinal, a falta de ação neste momento poderia permitir que milhares de pessoas sejam novamente prejudicadas.

Recomendamos fortemente que os investidores se mantenham alertas e bem-informados. Qualquer plano de recuperação ou nova operação anunciada por Santos deve ser tratada com extrema cautela, a menos que haja comprovação de participação e aprovação das autoridades competentes.

A busca por justiça para todos os investidores prejudicados pela Midas Trend deve continuar a todo vapor.

Não se pode permitir que esquemas como este persistam impunemente, prejudicando inúmeras famílias e desestabilizando a confiança no sistema financeiro.

O compromisso com a verdade e a justiça deve prevalecer, garantindo que os responsáveis por tais esquemas sejam devidamente responsabilizados e que a integridade do setor financeiro seja protegida.

Em tempos de crise e incerteza, a transparência e a responsabilidade devem ser a bússola orientadora, tanto para as autoridades quanto para os investidores.

As ações de hoje determinarão o panorama de confiança no sistema financeiro de amanhã. E contamos com o braço forte (e mais ágil) da Justiça para renovar a esperança de milhões de investidores no Brasil que são vítimas diárias de fraudes e golpes financeiros.

* Jorge Calazans é advogado criminalista, sócio do escritório Calazans e Vieira Dias e especialista na defesa de investidores vítimas de fraudes financeiras.

Para mais informações sobre justiça clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan


Há algo de muito errado nas finanças do Governo Federal

O Brasil atingiu, segundo os jornais da semana passada, cifra superior a um trilhão de reais da dívida pública (R$ 1.000.000.000.000,00).

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O mal-estar da favelização

Ao olharmos a linha histórica das favelas no Brasil, uma série de fatores raciais, econômicos e sociais deve ser analisada.

Autor: Marcelo Barbosa